João Pessoa ・ Terça-feira ・ 28 de maio de 2024 ・

Dólar R$ 5,17 ・ Euro R$ 5,59

Paraíba

Hospital Metropolitano realiza 3º transplante cardíaco 100% SUS de 2023

Publicado em 02/06/2023 às 16:41 Por Redação
Secom/PB
Secom/PB
Na tarde de quinta-feira (1º), o Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires, administrado pela Fundação Paraibana de Gestão em Saúde (PB Saúde), realizou o terceiro transplante cardíaco 100% pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em 2023 na Paraíba. Esse procedimento foi possível graças à generosidade de uma família que autorizou a doação dos múltiplos órgãos de um jovem de 36 anos. A humanização e a solidariedade são palavras que definem essa decisão que transformou a vida de Valdir Francisco de Almeida, de 62 anos, e de pelo menos outras três pessoas que receberam o fígado e os rins doados pelo paciente, que estava internado em um hospital municipal de João Pessoa devido a uma hemorragia intracraniana.

Segundo o cirurgião cardiovascular responsável pelo procedimento, Antônio Pedrosa, o transplante ocorreu sem intercorrências, apesar de ser um caso mais delicado. O receptor possuía um coração de tamanho acima do normal e hipertensão pulmonar, o que torna o pós-operatório mais desafiador. No entanto, foi possível utilizar o aparelho Hemosphere, o mais moderno do mundo em termos de monitoramento hemodinâmico invasivo, que proporcionou uma melhor vigilância dos dados no pós-operatório de Valdir. O paciente encontra-se estável e em recuperação na UTI cardiológica do Hospital Metropolitano.

Destaca-se que esta é a primeira vez que o Hemosphere é utilizado em serviços do SUS na Paraíba. Sua utilização foi essencial devido às informações detalhadas sobre a hemodinâmica sistêmica e pulmonar que oferece, possibilitando um acompanhamento mais preciso do pós-operatório de Valdir, especialmente por causa da hipertensão pulmonar.

A diretora geral do Hospital Metropolitano, Louise Nathalie, ressalta que a realização de procedimentos inéditos é resultado do trabalho bem coordenado entre uma gestão inovadora e uma equipe altamente qualificada e comprometida em fornecer assistência de saúde de qualidade à população. Ela destaca o objetivo de continuar modernizando os serviços e tornar a assistência de saúde na Paraíba uma referência nacional em cardiologia, neurologia e endovascular.

Francinete Luiz da Silva, esposa do paciente que recebeu um novo coração, expressou sua gratidão pela nova chance de vida que seu marido está recebendo por meio do transplante. Ela agradeceu a Deus e à família do doador pela difícil decisão de autorizar a doação, enfatizando que essa escolha salvará outras vidas e manterá viva uma parte da pessoa que partiu, pois seu coração continuará batendo no peito de outra pessoa.

Antes de passar pelo procedimento, Valdir compartilhou que, quando recebeu a ligação com a boa notícia pela manhã, teve dificuldade em acreditar que o novo coração chegaria, o qual poderia proporcionar uma expectativa de vida adicional de cerca de 10 anos. "Foi uma surpresa para toda a minha família quando recebi a ligação. Só acreditei quando me disseram pessoalmente que era verdade, que um coração compatível estava disponível, porque sabíamos que isso seria difícil devido ao meu tipo sanguíneo, B+", relatou o paciente.

A cardiologista clínica e coordenadora do ambulatório para transplante do Hospital Metropolitano, Tauanny Frazão, acompanhou o caso de Valdir nos últimos três anos. Ela explicou que o paciente necessitava de um transplante devido à miocardiopatia dilatada idiopática e que seu coração estava consideravelmente aumentado, com uma fração de ejeção de apenas 18%, muito abaixo do percentual normal, que seria acima de 55%.

"Seu Valdir chegou até mim com uma insuficiência cardíaca avançada. Durante a pandemia, ele contraiu a Covid-19 e teve complicações pulmonares, enfrentando um período de grande dificuldade. Graças a Deus, conseguimos superar a Covid-19 juntos e continuamos seu tratamento. Desde o início, conversamos com a família sobre a gravidade da situação e hoje ele começa uma nova história, pois conseguimos oferecer o melhor tratamento para seu quadro de saúde, o transplante cardíaco", afirmou Tauanny.

A captação do coração ocorreu na Central de Transplantes do Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa, a partir das 16h. O doador, um homem de 36 anos, também teve seus rins e fígado captados. O transporte dos órgãos até os hospitais receptores contou com o apoio do Corpo de Bombeiros. Segundo a diretora da Central Estadual de Transplantes, Rafaela Dias, esse foi o quarto transplante cardíaco realizado na Paraíba em 2023, representando um grande avanço na área da saúde, já que superou o número total de doações registradas em 2022, que foi de três corações.

"Esse momento demonstra o quanto temos avançado em todas as etapas do processo de doação de órgãos para transplante. Além de destacar o comprometimento das equipes envolvidas, ressaltamos também a generosidade e a solidariedade das famílias doadoras, que mesmo em momentos de grande dor conseguem tomar a decisão de salvar vidas por meio da doação", pontuou Rafaela.


O Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires tem se destacado como uma instituição de referência nas áreas de cardiologia e neurologia. Em junho de 2020, recebeu o credenciamento para realizar transplantes cardíacos, o que levou à implementação do Ambulatório de Transplante na unidade, visando atender pacientes candidatos a esse procedimento. Além disso, o Metropolitano se tornou o quinto hospital público do país habilitado a realizar transplantes de coração em crianças.

Em 26 de março de 2022, o hospital alcançou um marco importante ao realizar o primeiro transplante cardíaco totalmente financiado pelo SUS na Paraíba. O beneficiado foi um homem de 60 anos, que recebeu um novo coração de um jovem de 20 anos. Em janeiro de 2023, foi realizado o segundo transplante, em um paciente de 47 anos, que teve alta em menos de um mês. Já o terceiro transplante ocorreu em abril de 2023, e o paciente recebeu alta após 39 dias.

Esses avanços demonstram o compromisso e a expertise do Hospital Metropolitano na área de transplantes cardíacos, proporcionando esperança e qualidade de vida aos pacientes que necessitam desse procedimento vital. A instituição continua aprimorando seus serviços e mantendo seu papel como referência nacional em saúde cardiovascular.

Anuncie aqui

Relacionadas